Tendências Internacionais do M&A em Telecom

A indústria de telecomunicações (Telecom) é cada vez mais um dos pilares de uma economia moderna e robusta. As empresas de Telecom prestam uma gama diferente de serviços, que vão desde conectividade para consumidores residenciais, passando por empresas que atuam em segmentos de serviços corporativos especializados até os prestadores de serviços de instalação e manutenção de infraestrutura física. Esse conjunto de empresas compõem uma cadeia essencial e sem a qual nossa economia não consegue funcionar eficientemente na era dos dados e da informação.

A chamada Indústria 4.0, que congrega tecnologias para automação e troca de dados, com instrumentos como ‘internet das coisas’ (IoT), computação em nuvem e serviços associados dependem de um aparato de Telecom pujante e em constante desenvolvimento. Nesse sentido, um estudo¹ de 2020 da União Internacional de Telecomunicações (ITU), agência da ONU especializada em tecnologias da informação e comunicação, estima que um aumento de 10% na penetração da banda larga fixa pode gerar um acréscimo de 1,9% no PIB per capita para a região das Américas. Este aumento se dá pelas oportunidades de inovação que uma melhor conectividade propicia, com aumentos de produtividade, geração de empregos e o desenvolvimento que o processamento mais rápido de dados permite à indústria e aos serviços².

A importância da indústria de Telecom se reflete no volume de operações de Fusões & Aquisições (M&A) observado nos últimos anos. Neste sentido, muito embora as telecomunicações sejam parte indispensável da economia global, fatores conjunturais e macroeconômicos impactaram de forma decisiva nas operações de M&A, cujos ciclos de altas e baixas acompanham fatores como taxas de juros e choques de oferta. Recentemente, exemplos marcantes de choques exógenos à indústria foram a pandemia de COVID-19 e a Guerra da Ucrânia, que levaram os diversos players desse mercado a reavaliarem estratégias de capitalização e assunção de risco. O gráfico abaixo produzido pela consultoria Bain & Company³, mostra a evolução global (e por regiões) das operações de M&A na indústria de Telecom:

Quando acompanhamos o quantitativo das operações de M&A nos últimos anos, observamos que o ano de 2021 registrou o maior volume de operações após o último pico de operações em 2018, resultado este influenciado pela aquisição pela AT&T da Warner Media por USD 85 bilhões, maior transação daquele ano⁴. O resultado global de 2020, com operações de USD 128 bilhões, revertendo a queda de 2019, seguido pelo volume de USD 192 bilhões em 2021, podem ser considerados reflexos da importância que a comunicação à distância e a exigência de conexões mais rápidas e confiáveis ganharam com os movimentos de isolamento social e trabalho remoto em decorrência da pandemia de COVID-19.

Com o controle da pandemia, os principais bancos centrais do mundo começaram um movimento de aumento de taxas de juros para o controle da inflação decorrente dos gargalos de logística e choques de oferta experimentados ao redor do mundo durante a emergência sanitária. O principal efeito do aperto monetário internacional foi o encarecimento do financiamento de operações de M&A em geral, afetando consequentemente o setor de Telecom. Outra razão que podemos destacar é que, passada a crise pandêmica, muitas empresas viram-se com a necessidade de reavaliar estratégias e modificar planos de expansão de negócios, o que naturalmente tende a diminuir operações de M&A em todas as indústrias.

Como podemos ver no gráfico acima, as operações referentes ao primeiro semestre de 2023 (H1 2023) apresentaram queda de 41% em relação ao primeiro semestre de 2022 (H1 2022). O estudo da Bain & Company destaca que em 2023 as operações de M&A em Telecom até o meio de 2023 concentra-se no segmento de infraestrutura, com aproximadamente 50% do valor das operações registradas. Este movimento pode ser explicado, entre outros fatores, por companhias maiores e com mais acesso a capital investindo em sinergias com companhias menores que já possuem capacidade de rede e serviços instalada, mas que não possuem o mesmo acesso a capital – especialmente em um ambiente de menor liquidez internacional.

Mesmo com volumes menores atualmente, as operações de M&A em Telecom continuam. Alguns players do mercado de Telecom acreditam que as áreas de maior crescimento do mercado serão a venda de produtos complementares em conjunto (bundling), a monetização do 5G, o acesso a redes wireless fixas, a expansão geográfica das empresas do setor, bem como um foco cada vez maior em sustentabilidade e governança (ESG)⁵. Tendências que, tudo leva a crer, serão acompanhadas pelas operações de M&A entre esses players.

Já no Brasil, levantamento feito pela KPMG registrou queda nas operações de M&A em Telecom de 2022 em relação a 2021, movimento que espelha o cenário externo com o aumento das incertezas macroeconômicas⁶. Em 2023, após um período de incertezas sobre os rumos que as operações de consolidação tomariam com o início de um novo governo (e possíveis mudanças de orientação regulatória), foram observadas operações de M&A tais como a da SEK com a CleanCloud, Brasil TecPar e TV Alphaville e, mais recentemente Vero e Americanet. Mesmo assim, a quantidade de operações de M&A entre ISPs (Internet Service Providers) diminuiu em 41% no primeiro semestre de 2023 em relação ao mesmo período de 2022, segundo a KPMG⁷. O mercado de ISPs foi visto nos anos da pandemia como uma boa aposta pela maior necessidade de acesso à internet pela população. Mesmo com um número menor de operações, há uma perspectiva de crescimento, pelo mercado, do volume total de transações de M&A em Telecom.

Assim, para acompanhar todas essas tendências no mercado global e nacional, é importante que cada empresa de toda a cadeira de Telecom conte com assessoria especializada para se preparar para futuras consolidações corporativas, seja do lado vendedor, seja do lado comprador de uma operação de M&A. Tanto quanto o aspecto financeiro da operação, a assessoria jurídica neste processo é fundamental para garantir os melhores resultados para os envolvidos. O PDK possui expertise e profissionais altamente qualificados para assessorar seus clientes e parceiros antes, durante e depois de suas operações de M&A.

Para se manter informado sobre os últimos acontecimentos acompanhe nossa newsletter e fique atento às oportunidades neste importante mercado de fusões e aquisições.

Equipe de Societário & M&A


1 Disponível em https://www.itu.int/en/ITU-D/Regulatory-Market/Pages/Economic-Contribution.aspx, último acesso em 14/09/2023.

2 Um resumo pode ser encontrado em https://utilitiesone.com/analyzing-the-economic-impacts-of-telecommunications, último acesso em 14/09/2023.

3 Disponível em https://www.bain.com/insights/telecom-m-and-a-here-are-the-latest-deal-trends-worldwide-interactive/#, último acesso em 18/09/2023.

4 https://www.morningstar.co.uk/uk/news/181432/2018-near-record-year-for-ma.aspx, último acesso em 18/09/2023.

5 Ver, por exemplo, https://globaltelcoconsult.com/ma-in-the-telco-space-volatile-but-dynamic-heres-a-review-of-recent-activity.

6 Estudo citado em https://teletime.com.br/16/01/2023/fusoes-e-aquisicoes-em-telecom-e-midia-caem-em-2022-aponta-kpmg/, último acesso em 22/09/2023.

7 Estudo citado em https://infraroi.com.br/2023/09/05/onda-de-ma-entre-isps-diminui-mas-especialista-espera-operacoes-maiores/, último acesso em 26/09/2023.

Mais
Insights