Tiktok é condenado em R$ 23 Milhões por tratamento ilegal de dados pessoais sensíveis

O Estado do Maranhão, por meio de Ação Civil Pública, proposta pelo INSTITUTO BRASILEIRO DE ESTUDO E DEFESA DAS RELAÇÕES DE CONSUMO, condenou a ByteDance a pagar R$ 23 milhões de reais a título de dano moral coletivo, e R$ 500 reais a título de dano moral individual àqueles que ingressaram na plataforma até junho de 2021, data em que foi atualizada a Política de Dados da organização para coleta automática de dados biométricos (dados sensíveis) dos usuários.

Além disto, o mais interessante da decisão é observar que a empresa está obrigada a:

  1. Abster-se de coletar e compartilhar dados pessoais biométricos sem o devido consentimento dos titulares;
  2. Explicitar aos usuários a forma pela qual o consentimento é obtido, com exposição das janelas, condições, línguas e caixas de diálogo em que são inseridos os termos deste consentimento, além de
  3. Implementar DE FORMA DESTACADA, COM TRANSPARÊNCIA E CLAREZA, ferramenta operacional para obter o consentimento do usuário da plataforma, com oportunidade do usuário autorizar ou não a coleta de dados.

Fica evidente, diante da decisão, que as organizações precisarão – e muito – melhorar os seus mecanismos de gestão de consentimento, em especial em ambientes de interação digital com titulares de dados, sejam clientes, consumidores ou usuários de plataformas digitais.

Conheça nosso serviço de DPO AS A SERVICE

Isso porque, ainda por meio da decisão, é possível inferir que frente a uma coleta de dados pessoais sensíveis, neste caso, dados biométricos, o DANO MORAL É PRESUMIDO, pois, no contexto socioeconômico atual, a proteção de dados pessoais é a privacidade é um DIREITO FUNDAMENTAL cada vez MAIS RELEVANTE!

Isso dito, a decisão traz ainda a não razoabilidade de se exigir do titular a comprovação do dano moral.

Segundo a decisão: A MERA COLETA DE DADOS PESSOAIS SENSÍVEIS SEM AUTORIZAÇÃO CAUSA DANO MORAL.

Número do processo: 0816292-73.2020.8.10.0001

Mais
Insights